Foi-se o tempo em que apenas um bom atendimento bastava para o sucesso e manutenção do relacionamento entre empresas e consumidores. Tão fundamental quanto entregar aquilo que seu cliente precisa é encantá-lo com sua experiência de compra.

Já que a busca pelo estreitamento desse laço tornou-se um dos mantras mais importantes atualmente no mundo dos negócios, é preciso que as empresas criem novas formas de ativação e engajamento, de forma a aumentar a retenção de clientes.

O primeiro passo é fazer o básico do básico, ou seja, investir na parte racional da experiência de compra. E aqui nos referimos à qualidade do produto ou serviço, agilidade na entrega, custos competitivos, um pós-venda treinado e dedicado, entre outros aspectos primordiais para que haja um mínimo de satisfação ao que é oferecido. Paralelamente, é preciso focar na experiência emocional da compra. Transformar uma pessoa em defensora de sua marca, aquela que se identifica e “veste a camisa”, não é uma tarefa fácil, mas pode ser desenvolvida através de “ganchos” como histórias, afinidades, ações, ideias…

Complementando a estratégia de relacionamento, dar a devida importância ao subconsciente é peça-chave para a criação de uma imagem mental positiva sobre a marca. São mudanças muito sutis, sobretudo na comunicação, que acabam gerando sua aprovação ou recusa. Isso ocorre porque temos um lado consciente e seletivo do cérebro que processa aquilo que nos convém. Por outro lado, aquilo que ficou de fora desse “filtro” acaba preso ao subconsciente, que pode vir à tona mediante a estímulos diversos.

Saber trabalhar esses estímulos é garantir que seu cliente terá a experiência de compra que ele espera.