Imagina uma loja em que você nunca precisasse encarar uma fila quilométrica pra pagar, bastando apenas entrar no estabelecimento conectado a um aplicativo de celular, simplesmente colocar os itens desejados na sacola, sair da loja e ser cobrado diretamente pelo dispositivo.

Ano de 2050? Que nada, isso é agora, 2018.

A AmazonGo promete revolucionar a experiência do consumo com um novo conceito de compras. Para comprar lá basta baixar um aplicativo e ter uma conta na Amazon. A ciência de dados cuidado do resto, reconhecendo o consumidor e realizando a cobrança.

Como funciona?

A tecnologia consiste basicamente de câmeras e sensores nas prateleiras, e cada cliente acaba “virando” um QR code escaneável ao entrar na loja física. O sistema é tão inteligente que impede que um determinado item seja debitado à pessoa errada quando duas pessoas se cruzam no corredor.

Para contextualizar esse cenário, há de ser dito que a Amazon já era conhecida por acumular e aplicar os dados coletados dos clientes em mecanismos de recomendação de produtos conforme perfil ou padrão de compra. A empresa foi aprimorando tanto esse algoritmo que começou a vislumbrar uma evolução natural para outras áreas, em negócios maiores.

Juntou-se isso o próprio avanço de sistemas e sensores, capazes de registrar desde deslocamentos físicos das pessoas (através de ondas de calor) ou pontos de interesse de clientes através da direção em que eles estivessem olhando. Isso possibilita um mundo de possibilidades na análise de dados. Será possível analisar por quanto tempo ele ficou na gôndola, qual seu tempo de resposta, o que comprou, quando comprou, por que devolveu…enfim, dará para acompanhar toda a jornada de compra do cliente através de dados muito mais assertivos ao invés de feelings ou projeções.

A Amazon vem demonstrando que juntar analytics com recursos tecnológicos da ciência de dados pode revolucionar o mercado e o próprio conceito de consumo no futuro, permitindo conhecer ainda mais o perfil dos consumidores, permitindo a elaboração de estratégias de marketing cada vez mais direcionadas.